Osteoporose

A osteoporose é uma doença comum que enfraquece os ossos, afeta mais mulheres que homens, geralmente à medida que envelhecem. Felizmente você pode tomar medidas para reduzir o risco de desenvolver osteoporose e evitar fraturas. Se você já tem osteoporose, novos medicamentos estão disponíveis para reduzir ou parar a progressão.

Rapidinhas...
  • Idade não é o único fator de risco para a osteoporose. O estilo de vida, outras doenças e até mesmo medicamentos podem causá-la.
  • Um teste de diagnóstico simples, conhecido como Densitometria Óssea pode fornecer informações valiosas sobre a massa óssea.
  • Novos medicamentos existem para retardar e até mesmo parar a progressão da osteoporose.
O que é Osteoporose?
Osteoporose é uma doença silenciosa dos ossos que os torna enfraquecidos e propensos à fratura. O osso é um tecido vivo que está em um constante estado de regeneração - enquanto o osso velho é removido (reabsorção óssea), vai sendo substituído por osso novo (formação óssea). A partir dos 30 anos de idade, a maioria das pessoas começa a perder massa óssea gradualmente devido um desequilíbrio entre a reabsorção e a formação óssea (o osso é mais perdido do que pode ser formado). Como resultado disso, os ossos ficam estruturalmente mais fracos.
A doença é silenciosa porque a perda de massa óssea não causa sintomas, e  você pode descobrí-la somente depois de quebrar um osso, que pode ocorrer após uma simples queda ou até mesmo espontaneamente. As fraturas mais comuns ocorrem na coluna, punho e quadril. As fraturas de coluna e quadril em particular, podem levar à dor crônica, incapacidade de longo prazo e até a morte. O objetivo do tratamento da osteoporose é evitar que tais fraturas acontecem!



A osteoporose  deixa os ossos fracos devido perda de massa óssea, bem como mudança na estrutura óssea. A primeira foto é osso normal e o segundo mostra osso osteoporótico.


O que provoca a Osteoporose?

Muitos fatores aumentam o risco de desenvolver Osteoporose e sofrer uma fratura. Alguns desses fatores de risco podem ser alterados, enquanto outros não. Reconhecer seus fatores de risco é importante para prevenir ou tratar a Osteoporose antes que se torne pior. Os principais fatores de risco:
  • Idade
  • Estrutura óssea pequena e baixo peso
  • História familiar de osteoporose ou fraturas (pais ou irmãos)
  • Fraturas suspeitas após os 50 anos
  • Deficiência de hormônio sexual,  particularmente a deficiência de estrogênio nas mulheres (menopausa, por exemplo) e testosterona nos homens.
  • Tabagismo
  • Abuso de álcool
  • Baixa ingestão ou absorção deficiente de vitamina D e Cálcio
  • Estilo de vida sedentário ou a imobilidade
  • Medicamentos: Corticóides, Hormônio de tireóide em excesso, anticoagulantes, anti-convulsivantes, etc
  • Doenças endócrinas (hipertireoidismo, hiperparatireoidismo, doença de Cushing, etc)
  • Doenças Reumatológicas (artrite reumatóide, espondilite, etc)
Quem tem mais Osteoporose?
A osteoporose é mais comum em mulheres brancas a partir dos 65 anos, mas pode ocorrer em qualquer idade, nos homens e em todos os grupos étnicos. Não-hispânicos e asiáticos são mais suscetíveis. A partir dos 50 anos de idade há um maior risco de desenvolver osteoporose e fraturas relacionadas - uma em cada duas mulheres e um em cada seis homens vão sofrer uma fratura relacionada com a Osteoporose.

Como a Osteoporose é diagnosticada?
A Densitometria DXA (Dual energy X-ray absorptiometry) é o melhor teste atualmente para medir a densidade mineral óssea. O teste é rápido e indolor. É semelhante a um raio-X, mas usa muito menos radiação. Mesmo assim, as mulheres grávidas não devem fazer este teste para evitar riscos para o bebê.

Como é o tratamento da Osteoporose?
Para manter os ossos saudáveis
  • Verifique se há bastante cálcio em sua dieta através de leite e derivados ou com Cálcio suplementar (pelo menos 1200 mg por dia para pessoas com mais de 50 anos).
  • Obtenha ingestão adequada de vitamina D, que é importante para a absorção de cálcio e para manter a força muscular (800 a 1000 UI por dia para pessoas com mais de 50 anos). Doses adicionais podem ser necessárias conforme os níveis sanguíneos de vit D.
  • Faça exercícios físicos regulares

Medicamentos para tratamento da Osteoporose::

  • Bisfosfonatos: Alendronato, Risedronato e ácido zoledrônico foram aprovados pelo FDA para a prevenção e tratamento da osteoporose em mulheres pós-menopáusicas e em homens, além da prevenção e tratamento da osteoporose induzida por glicocorticóides. Estes medicamentos ajudam a retardar a perda óssea e foi mostrado diminuir o risco de fraturas.
  • Calcitonina: hormônio produzido pela glândula tireóide, é dado normalmente como um spray nasal ou como uma injeção embaixo da pele. Foi aprovado pela FDA para o tratamento da osteoporose pós-menopausa. Também é útil no controle da dor após uma fratura vertebral; porém, atualmente contraindicado devido potenciais riscos de Câncer.
  • Estrogênio ou Terapia de Reposição Hormonal:A reposição pode diminuir o risco de osteoporose. No entanto, a combinação de estrogênio com progesterona aumenta o risco de câncer de mama, derrames, ataques cardíacos e coágulos sanguíneos. Estrógeno sozinho pode aumentar o risco de acidentes vasculares cerebrais.
  • Teriparatida: É um tipo de hormônio da paratireóide, que ajuda a estimular a formação óssea. É administrado com uma injeção diária sob a pele e pode ser usado por até dois anos. Especialmente útil nos casos de Osteoporose induzida por Corticódes.
  • Ranelato de estrôncio: Pó dissolvido em água e tomado diariamente - deixa um gosto metálico na boca. Devido risco aumentado de causar coágulos no sangue, ele deve ser usado com precaução em mulheres que tem história ou risco de trombose venosa.
 
O que é Osteopenia?
Osteopenia é uma fase pré-Osteoporose. Para esses pacientes utilizamos atualmente uma ferramenta chamada FRAX® (WHO Fracture Risk Assessment Tool), um modelo que fornece o risco absoluto de fratura nos próximos dez anos para determinado paciente. E baseado nesse risco é que guiamos o tratamento dos pacientes com Osteopenia.

Prevenção
Alterações no estilo de vida podem ser a melhor forma de prevenir a Osteoporose
  • Verifique sua ingesta de Cálcio e Vitamina D
  • Pare de fumar
  • Evite a ingestão de álcool em excesso
  • Trate outras doenças que podem causar a Osteoporose
  • Minimize os medicamentos que podem causar a osteoporose, mas nunca antes de falar com seu médico
  • Faça exercícios físicos - melhora a massa óssea e diminui o risco de quedas.
  • Diminua os riscos de queda! Elimine os perigos em casa: retire os fios soltos ou tapetes que possa tropeçar, instale barras de apoio no banheiro e use tapetes antiderrapantes no chuveiro). Use sapatos adequados. Use uma bengala ou andador se tiver desequilíbrio ou outras dificuldades para andar. 

Notícias:

14/08/2013: Estudo indicou um aumento do risco de fratura de quadril em pessoas expostas a antidepressivos, especialmente aqueles com propriedades serotoninérgicas tais como os inibidores seletivos da recaptação da serotonina. Esta associação precisa ser mais explorada em estudos clínicos.
Link para mais informações

04/06/2013: A doença de Parkinson e a osteoporose são doenças comuns, que afetam uma parcela significativa da população idosa. As evidências acumuladas apoiam que os pacientes com doença de Parkinson têm um elevado risco de osteoporose.
Link para mais informações

18/04/2013: Osteoporose vertebral pode ser diagnosticada por meio de tomografia computadorizada abdominal realizada por outras indicações, de acordo com um estudo publicado na revista Annals of Internal Medicine.
Link para mais informações

07/03/2013: Agora foi a vez do FDA (em julho/2012 foi a Agência Européia) recomendar contra o uso de calcitonina de salmão (uma versão artificial do hormônio) para o tratamento da osteoporose pós-menopausa, pois os riscos potenciais de câncer superam os benefícios, comentado pela Reuters.
Link para mais informações

05/11/2012:  Duas infusões anuais de ácido zoledrônico reduziu significativamente o risco de achatamento vertebral em 67% entre os homens com osteoporose. Esta redução foi semelhante à relatada em mulheres na pós-menopausa com osteoporose que receberam ácido zoledrônico (redução relativa no risco de fractura vertebral, 71% em 2 anos), o que sugere que o efeito anti-fratura do ácido zoledrônico é independente do sexo. Publicado na revista New England Journal of Medicine.
Link para mais informações

10/09/2012: O risco de fraturas após cirurgia bariátrica não aumentou no curto prazo, mas tende a ser maior após 3 a 5 anos.
Link para mais informações

01/08/2012: A cirurgia de catarata parece reduzir o risco de fratura de quadril em pacientes idosos, de acordo com um estudo publicado no JAMA.
Link para mais informações

22/07/2012:Agência Europeia de Medicamentos (EMA) recomendou limitar o uso prolongado de calcitonina. O Comitê para uso humano (CHMP) recomendou que medicamentos contendo calcitonina só deve ser utilizado para tratamento à curto prazo para determinadas condições, devido evidência de que o uso prolongado está associado a um risco aumentado de câncer. Os médicos não devem mais prescrever calcitonina (como o spray nasal) para o tratamento da osteoporose.
Link para mais informações

07/06/2012: Relatório publicado pelo FDA e apresentado no Congresso Internacional de Oncologia Clínica mostra que, desde 1995, foram registrados 128 casos de câncer no esôfago relacionados aos bifosfonatos.
Link para mais informações

28/05/2012: Um relatório divulgado na quinta-feira (24) pela IOF (International Osteoporosis Foundation) sobre a osteoporose na América Latina prevê que a incidência de fraturas de quadril no Brasil crescerá 32% até 2050.
Link para mais informações

02/04/2012: Uma Revisão foi publicada na revista Osteoporosis International sobre a associção do tabagismo e com redução da densidade mineral óssea (DMO) e aumento do risco de fratura. Há vários estudos que definem vários dos mecanismos fisiopatológicos subjacentes que predispõem os fumantes a perda de massa óssea; sendo, o tabagismo, um fator de risco reversível.
Link para mais informações

22/03/2012: Dietas podem aumentar o risco de fratura em 70%. No primeiro estudo a olhar para o efeito da dieta no risco de fratura, os pesquisadores analisaram dados de 27.000 participantes durante um período de 15 anos. Eles descobriram que mulheres com idade superior a 46 anos, que perderam mais de 11 kg, tiveram um aumento de 68% no risco de fratura, com o risco crescente com a perda de peso maior. Nenhuma correlação foi encontrada entre os homens. A chefe do estudo, Anne Sogaard, epidemiologista do Instituto Norueguês de Saúde Pública, disse: "A manutenção de um peso estável, o que reduz a necessidade e as tentativas de dieta, pode ter efeitos benéficos sobre o risco de fratura".
Link para mais informações

06/03/2012: Os suplementos de vitamina E podem prejudicar a manutenção dos ossos, segundo um estudo feito por cientistas japoneses e divulgado pela revista britânica Nature Medicine.
Link para mais informações

15/02/2012: Inibidores da bomba de prótons (IBPs) - entre os mais conhecidos, o omeprazol -  suprimem a produção de ácido gástrico e, conseqüentemente, a absorção de cálcio. Assim, o uso a longo prazo de IBPs podem reduzir a densidade óssea e aumentar o risco de fratura. Usando dados do Estudo Nurses' Health Study (NHS) e outros estudos anteriores, um artigo publidacado na revista British Medical Journal mostra aumento de risco de fratura de quadril com o uso a longo prazo dos IBPs em mulheres pós-menopáusicas, principalmente entre as fumantes.
Link para mais informações

08/02/2012: O medicamento exemestano (inibidor de aromatase) - usados ​​para tratar câncer de mama precoce em mulheres na pós-menopausa e também considerado para uso na prevenção da doença - agrava a perda óssea relacionada à idade, mostra estudo da Lancet Oncology.
Link para mais informações

25/01/2012: Quando a DMO deve ser repetida? Um estudo publicado na revista New England Journal of Medicine desafia a prática da repetição da Densitometria Mineral Óssea (DMO) a cada poucos anos. Neste estudo, poucas mulheres com DMO normal desenvolveram osteoporose dentro de 15 anos. Futuras atualizações das diretrizes de triagem devem incorporar esses achados. No entanto, devemos ter em mente que outros fatores além BMD afetam o risco de fratura, não abordados nesse estudo.
Link para mais informações

11/12/2011: Vibração de corpo inteiro (VCI): nenhum benefício para os ossos! Estudos prévios em animais sugeriam que a  VCI - feita através de plataformas que vibram enquanto o usuário fica parado - poderia melhorar a densidade óssea. Neste estudo canadense, publicado na revista Annals of Internal Medicine, os pesquisadores avaliaram 202 mulheres pós-menopáusicas com Osteopenia, algumas recebendo VCI diariamente, outras não. Após 12 meses, não houve diferenças entre os grupos. Muitos desses dispositivos VCI são comercializados diretamente com os pacientes. Em uma rápida pesquisa no Google, os preço nos EUA variam entre $200 a $2000. Este estudo, que de longe é a melhor evidência até agora, mostra que o uso de VCI não traz benefícios para a saúde óssea.
Link para mais informações

10/12/2011: Os médicos nem sempre seguem os guidelines para a Osteoporose e muitas mulheres recebem triagem e tratamento inadequado. Como o número de mulheres na menopausa continua a aumentar, o rastreio e tratamento da osteoporose assume maior importância. Investigadores dos EUA realizaram um estudo em mulheres que se submeteram à Densitometria entre 2007 e 2009 para determinar se elas preenchiam os critérios para densidade mineral óssea (DMO) e posterior tratamento de acordo com as Diretrizes da North American Menopause Society 2006 (NAMS). Essas diretrizes especificam que a triagem não deve ser iniciada antes dos 65 anos (a menos que determinados factores de risco estejam presentes) e que o tratamento deve ser iniciado somente em mulheres osteoporóticas (ou selecionadas mulheres de alto risco com escores T entre -2,5 e -2,0). Publicado na revista Menopause.
Link para mais informações

01/07/2011: Diabetes mellitus tipo 2 está associada com maior densidade mineral óssea (BMD) e, paradoxalmente, maior risco de fratura.
Link para mais informações

26/05/2011: Existem tratamentos eficazes para prevenir as fracturas osteoporóticas, mas estes tratamentos são subutilizados. Apenas 57% dos pacientes iniciaram a medicação dentro de 3 meses do diagnóstico. A decisão de iniciar o tratamento parece estar relacionado às crenças e desconfianças dos pacientes nos medicamentos.
Link para mais informações

14/05/2011: Segundo estudo publicado na revista Osteoporosis International, a deficiência de Vitamina D é altamente prevalente na população acima dos 70 anos (21% dos homens e 44% das mulheres) e está relacionado com diminuição de força e desequilíbrio, além do aumento do número de quedas nos homens.
Link para mais informações

29/04/2011: Idosos recebendo levotiroxina (hormônio da tireoide) mostraram aumento do risco de fraturas dose-relacionado, segundo estudo publicado na revista British of Medical Journal. Editorialistas comentam que os idosos devem receber baixas doses da medicação, ser monitorizados frequentemente, e o TSH (hormônio estimulante da tireóide) não deve ficar suprimido.
Link para mais informações

27/04/2011: Cirurgia Bariátrica (redução do estômago) está associada com perda de massa óssea em adolecentes, segundo publicação da revista Pediatrics.
Link para mais informações

27/04/2011: Publicado em março passado na revista Current Opinion in Rheumatology um artigo de revisão sobre prevenção da Osteoporose.
Link para mais informações

25/04/2011: Veja postagem publicada com o título Vitamina D na saúde e na doença.

23/04/2011: Segundo estudo publicado na revista International Osteoporosis, a satisfação com o tratamento é importante para a adesão às medicações em mulheres com osteoporose.
Link para mais informações

13/04/2011: Citrato de cálcio pode ser uma boa opção para quem sofre com distensão abdominal e/ou flatulência com outros sais de Cálcio, além de diminuir o risco de formação de cálculos renais, conforme estudo publicado na revista Clinical Drug Investigation.
Link para mais informações

12/04/2011: Pesquisa revela desconhecimento das mulheres sobre osteoporose.
Link para mais informações

06/04/2011: Identificados pela primeira vez uma combinação de genes relacionados com a Osteoporose de Quadril em mulheres pós-menopausa, conforme dados da AlphaGalileoFoundation e da Universidade de Granada.
Link para mais informações

30/03/2011: Estudo publicado na revista Osteoporosis International mostra que o Alendronato na realidade pode ter um efeito protetor no desenvolvimento de arritmia cardíaca como a Fibrilação Atrial. Link para mais informações

22/03/2011: Estudo publicado na revista Osteoporosis International sugere que quanto mais grave for a deficiência de vitaminda D, mais graves são as fraturas osteoporóticas de quadril.
Link para mais informações

10/03/2011: Estudo publicado na revista Annals of Internal Medicine mostra que o uso de Inibidores da bomba de prótons (IBPs), tal como o Omeprazol, pode reduzir o efeito antifratura do Alendronato.
Link para mais informações

23/02/2011: Pomada de nitroglicerina pode ajudar no ganho de massa óssea e na diminuição da reabsorção óssea em mulheres pós-menopausa, segundo estudo publicado na revista da Associação Médica Americana (JAMA).
Link para mais informações

22/02/2011: Publicado na revista Osteoporosis International um Guia para ajuste do FRAX de acordo com a dose de corticóide.
Link para mais informações

22/02/2011: Publicado na revista Central European Journal of Medicine a potencial função da análise FRAX em mulheres pós-menopausa com osteopenia.
Link para mais informações

21/02/2011: Uma cadeira elétrica que pode tratar a osteoporose. Essa foi a novidade publicada pelo site do jornal Folha de S. Paulo no último dia 31 de janeiro. Trata-se de uma invenção de pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) de São Carlos e da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), os quais, após testarem o mecanismo em ratos, estão agora aplicando testes em pessoas idosas. Comentado no site da Soc.Bras.Reumatologia (SBR):
Link para mais informações